Economia

Paulo Guedes diz que auxílio pode voltar se vacinação fracassar

Ministro da Economia afirma que para isso será necessário fazer sacrifícios

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 26/01/2021 às 14:51
NOTÍCIA
Marcello Casal Jr./ABr
FOTO: Marcello Casal Jr./ABr
Leitura:

O Ministro da Economia, Paulo Guedes afirmou nesta terça-feira (26) que existe a possibilidade do auxílio emergencial voltar a ser pago. Para isso, ele considerou o número de casos e mortes por coronavírus continuar aumentando e a campanha de vacinação fracassar. 

Lote residual do auxílio emergencial será pago na próxima quinta

No entanto, é necessário, segundo Guedes, analisar os fatores responsáveis pelo aumento de casos de coronavírus, e entender se a situação atual é reflexo das festas de fim de ano. Para que o auxílio seja retomado, o governo vai precisar fazer cortes e ajustes, como o congelamento de verbas para saúde e educação e de salários de servidores públicos.

Caso a pandemia se agrave ainda mais no Brasil, o ministro sugeriu a inclusão da cláusula de calamidade pública na Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que tramita no Congresso desde 2019 com objetivo original de diminuir despesas obrigatórias.

Cláusula de calamidade pública

A cláusula de calamidade pública teria como efeito a suspensão de normas fiscais, em casos de situações extremas. Por outro lado, a utilização deste mecanismo exigiria a revisão de despesas a curto e longo prazo.

A regra pode ser acionada tanto na pandemia do coronavírus como em outros casos extremos, como a elevação do nível do mar, por exemplo.

Mais Lidas