doença

Síndrome de Haff: irmãs estão internadas com 'doença da urina preta' em Pernambuco

"Minha filha está muito mal na UTI", disse a mãe de uma das mulheres internadas por causa de toxina presente no peixe.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 24/02/2021 às 9:06
NOTÍCIA
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

Duas mulheres pernambucanas adoeceram e precisaram ser internadas após comerem o peixe Arabaiana, uma espécie conhecida popularmente como "olho de boi". Uma delas está em uma Unidade de tratamento Intensivo (UTI) e a outra foi atendida em uma enfermaria de um hospital do Recife. As irmãs foram diagnosticadas com síndrome de Haff, conhecida também como doença da urina preta.

A síndrome é causada por uma toxina presente no peixe. Ela provoca lesão muscular e também afeta os rins. É uma doença rara que acontece de forma repentina e que é caracterizada pela ruptura das células musculares, o que leva ao aparecimento de alguns sinais e sintomas como dor e rigidez muscular, dormência, falta de ar e urina preta, semelhante à café.

Autoridades de saúde acreditam que a toxina biológica está presente em peixes de água doce e crustáceos. A mãe das duas mulheres, Betânia Andrade, fez um alerta em entrevista à TV Jornal para que as pessoas tomem mais cuidado e relatou a dificuldade da família em lidar com um momento tão delicado.

"Muita gente não sabe, mas segundo o médico, vem do peixe essa toxina. Então queria dizer a todo mundo pra tomar cuidado. Minha filha está muito mal na UTI, a outra está no apartamento. Esse peixe está causando um mal muito grande a minha filha", disse Betânia, emocionada.

Veja a reportagem

Mais Lidas