menu

Pessoas flagradas em aglomerações e festas clandestinas podem ser presas em Pernambuco

A informação foi divulgada pelo secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico

Pedro Eurico
Pessoas podem ser presas por aglomerações de acordo com o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico (Heudes Régis/SEI)

O Governo de Pernambuco tem intensificado as fiscalizações para garantir o cumprimento das medidas restritivas em todo o Estado. No fim de semana, agentes interditaram um evento com mais de 100 pessoas no Recife. Após o ocorrido, o governo estadual endureceu o tom com relação às medidas restritivas e o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, afirmou que, quem foi flagrado em festas clandestinas e aglomerações pode ser preso.

Como forma de conter o aumento do contágio pela Covid-19, o estão proibidas nos fins de semana as atividades não essenciais em Pernambuco até o dia 17 de março. "Não vamos mais tolerar esse tipo de comportamento. Todos que participam estão praticando um crime contra a saúde pública, previsto no artigo 268 do código penal", destacou o secretário.

Desde o início das fiscalizações, o governo havia conduzido às unidades policiais apenas os organizadores dos eventos. A partir de agora, o secretário afirma que todos os envolvidos deverão ser penalizados. "A partir de agora vamos prender todo mundo. Pode ser aglomeração festiva ou festa clandestina, vai todo mundo preso, não só o responsável. Todos os participantes serão conduzidos a uma delegacia e responderão a processo criminal", alertou.

Casos em Pernambuco

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) no último domingo (7), Pernambuco totaliza 308.284 casos confirmados da doença, sendo 32.965 graves e 275.319 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha. O Estado totaliza 11.173 mortes pela doença.