Coronavírus

Cumaru suspende retorno das aulas presenciais após aumento de casos de Covid-19

De acordo com a gestão municipal, a nova data para retorno será orientada pela Vigilância Sanitária Municipal.

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 04/05/2021 às 19:19
NOTÍCIA
Brenda Alcântara/JC Imagem
FOTO: Brenda Alcântara/JC Imagem
Leitura:

A Secretaria de Educação de Cumaru, no Agreste do Pernambuco, suspendeu o retorno das aulas presenciais para as redes municipal e particular, nesta terça-feira (4). O retorno estava programado para esta semana, mas, devido o aumento de casos de Covid-19 no município, o retorno foi adiado.

Por meio de nota, a secretaria disse que na sexta-feira (7), estará emitindo nota técnica de esclarecimento sobre a decisão de suspender a autorização de retorno dos alunos para as salas de aula. Ainda de acordo com a gestão municipal, a nova data para retorno ou avisos para manter a suspensão das atividades presenciais será orientada pela Vigilância Sanitária Municipal.

As aulas presenciais estavam suspensas desde março deste ano, mas no fim do mês de abril, o Governo de Pernambuco autorizou o retorno das aulas presenciais para a Rede Municipal de Ensino em todo o Estado. No entanto, a decisão de voltar com atividades pedagógicas nas escolas ficou a critério dos gestores municipais. Em Cumaru, no momento, as aulas seguem no formato remoto.

Covid-19 em Cumaru

De acordo com os últimos dados divulgados pela Secretaria de Saúde de Cumaru, o município tem 419 casos de Covid-19. Desde o começo da pandemia, 12 óbitos foram registrados por causa da doença. O boletim ainda mostra 78 moradores em monitoramento domiciliar e um caso de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) aguardando resultado de exame.

No acompanhamento do quadro epidemiológico, entre as semanas 13 e 17 ocorreu um pico da doença com 41 notificações positivas do novo coronavírus registradas. Na distribuição por sexo, 57,7% dos infectados são mulheres. Com relação à faixa etária, pessoas com idades entre 31 e 40 anos lideram com 26,7% dos casos.

Mais Lidas