Internacional

Onde o Talibã estava antes de tomar o controle do Afeganistão?

O grupo extremista tomou o controle do país após a saída das tropas estadunidenses do território

NE10 Interior NE10 Interior
NE10 Interior
NE10 Interior
Publicado em 17/08/2021 às 17:40
NOTÍCIA
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

No último domingo (15), o grupo extremista Talibã virou notícia mundial ao tomar o controle da capital do Afeganistão, Cabul, e com a fuga do país do presidente Ashraf Ghani. 

O grupo manteve o país em uma ditadura religiosa entre 1996 e 2001, que teve fim quando tropas do exército dos Estados Unidos invadiram o Afeganistão, após os atentados de 11 de setembro. A volta do Talibã ao poder gerou uma série de tumultos, com milhares tentando fugir do local em meio ao clima de incerteza. 

Mas onde ele estava durante todo esse tempo que passou fora do poder? Logo após a derrubada do antigo governo Talibã, os integrantes se refugiaram em uma região que fica próxima da fronteira com o Paquistão, um dos únicos países que o reconhecia como governo legítimo. 

Ao longo dos quase 20 anos de conflito com as forças afegãs e estadunidenses, estima-se que em junho o grupo já havia conseguido tomar o controle de cerca de 50% a 70% do país, ao atacar distritos da área rural, até alcançar as cidades chaves para a administração local, como é o caso de Cabul. 

O que é o Talibã?

O Talibã é um grupo extremista religioso que surgiu em 1994 durante o período em que o Afeganistão estava devastado pela guerra contra os soviéticos. O nome significa algo como “estudantes de religião” na língua pashtun e o objetivo do grupo é fazer com que o país siga a interpretação do mesmo sobre a lei islâmica. 

Na primeira vez que o Talibã controlou o Afeganistão, foram instituídas regras estritas, principalmente para as mulheres, que perderam direitos básicos e foram proibidas de estudar, trabalhar e de viajarem sozinhas. Outra das regras impostas pelo grupo foi o banimento de músicas, programas de TV e até mesmo feriado que não fossem islâmicos. 

Mais Lidas