Câmeras de segurança

Vídeo mostra confusão entre ambulantes e fiscais na Prefeitura de Caruaru

Nessa segunda (2), vendedores tentaram entrar na prefeitura e houve um tumulto entre eles e os fiscais

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 03/12/2019 às 17:41
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

A Prefeitura de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, divulgou nesta terça-feira (3) as imagens do circuito interno das câmeras de segurança do bloco B do órgão. Nessa segunda (2), ocorreu uma confusão entre ambulantes e fiscais, que vem dividindo opiniões. De um lado, os ambulantes dizem que foram agredidos. Do outro, a prefeitura afirma que os funcionários fizeram a contenção dos vendedores depois que foram desacatados e agredidos.

Um dos ambulantes supostamente agredidos, Lucas Fernandes, disse que foi até o local para se cadastrar junto à prefeitura. "Fui atrás da bata para poder me cadastrar. Chegando lá eles disseram que não tinha mais ficha. No sábado eles quebraram minha caixa de isopor e beberam minhas águas", denunciou.

Na segunda, ele e outros ambulantes seguiram para o bloco B do órgão. "Quando chego lá, os fiscais me disseram que eu só poderia subir sozinho para conversar. Mas eu queria ir acompanhado porque eu não entendo muito disso, mas eles já partiram para agressão", contou.

Por outro lado, a Secretaria de Ordem Pública de Caruaru sustenta que o ambulante havia desacatado os fiscais no último sabado (30). O mesmo ambulante e outro vendedor seguiram para o bloco B nessa segunda. A prefeitura informou que eles desacataram e agrediram os fiscais, e só depois disto foram contidos pelos funcionários públicos.

"Teve a visita não de um trabalhador, de um comerciante normal, que vem tradicionalmente quando tem sua mercadoria apreendida, retirar sua mercadoria. Se paga uma taxa, se retira a mercadoria, é um procedimento normal. Vieram um grupo de pessoas, já entraram filmando a situação, provocando, falando palavras de baixo calão", argumentou a secretária de Ordem Pública, Karla Vieira, que utilizou o termo "pseudocomerciante" para se referir ao primeiro envolvido.

Após o ocorrido, os ambulantes e fiscais foram encaminhados para a Delegacia de Plantão pela Guarda Municipal. Ainda de acordo com a prefeitura, um dos ambulantes foi autuado em flagrante por crime de resistência. Sobre o outro envolvido, foi instaurado inquérito por portaria para investigar o crime de desobediência, além de desacato. O caso será investigado pelo delegado Alberes Costa.

Em nota, a Secretaria de Ordem Pública informou que o trabalho é realizado com "muito esforço e respeito". De acordo com a pasta, quase 800 ambulantes foram cadastrados para trabalhar no projeto Comércio na Praça, onde os comerciantes podem trabalhar em um espaço fixo ou em circulação, de acordo com a mercadoria. A secretaria disse ainda que os fiscais da Secop trabalham fardados nas ruas, todos os dias, "para garantir o direito de ir e vir de todos".

Veja o vídeo:

Comércio na Praça

Parte do processo de revitalização do centro da cidade, o Comércio na Praça é um projeto que tem como objetivo liberar as ruas e calçadas das principais ruas da área. Os ambulantes foram realocados para o Largo dos Guararapes, a Praça Leocádio Porto e o Largo da Conceição.

Os vendedores receberam bancos padronizados e fardamento e precisam levar apenas as mercadorias para os espaços. Os locais comerciais no Largo dos Guararapes e Praça Leocádio Porto funcionam partir das 6h e encerra as atividades às 18h. No Largo da Conceição, o funcionamento é das 6h às 14h e 15h às 22h.

O projeto, porém, tem desagradado muitos dos ambulantes, que reclamam que não há movimentação de clientes nos novos espaços. Desde o início da discussão do projeto, já foram vários protestos fechando ruas no centro da cidade. O desejo dos vendedores ambulantes era continuar no centro até o fim do ano, mas a gestão não acatou o pedido e manteve a data da mudança para 1º de novembro.

Mais Lidas