Pedidos

Auxílio emergencial: 11,6 milhões de pessoas precisam fazer revisão cadastral

Estas pessoas receberam a mensagem de "dados inconclusivos"

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 23/04/2020 às 12:39
NOTÍCIA
Marcello Casal Jr- Agência Brasil
FOTO: Marcello Casal Jr- Agência Brasil
Leitura:

A Dataprev informou nessa quarta-feira (22) que 32 milhões de cadastros concluídos entre os dias 7 e 10 de abril no site ou aplicativo Caixa | Auxílio Emergencial foram processados. Destes, 15,2 milhões foram considerados elegíveis e irão receber o auxílio; 11,6 milhões precisam de revisão cadastral; 3,5 milhões foram classificados como inelegíveis e 1,7 milhão precisam de processamento adicional devido à complexidade do cruzamento dos dados.

Trabalhadores que tiveram auxílio emergencial reprovado poderão fazer nova solicitação

Pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial será no mês de maio

Quem recebeu no aplicativo ou no site a resposta "dados inconclusivos" deverá realizar a revisão, já que inseriu informações que não foram possíveis de ser analisadas no primeiro cadastro. Três em cada dez pedidos estão incluídos nessa categoria. Entre os motivos estão: marcou que era chefe de família mas não informou nenhum membro; necessidade de inserção da informação de sexo masculino ou feminino; inseriu informação de familiar incorreta, como CPF e data de nascimento; houve divergência de cadastramento entre membros da mesma família; informou alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

Já as pessoas que tiveram o auxílio reprovado podem fazer uma nova solicitação, caso tenham inserido algum dado errado. Se não, poderão contestar o motivo da não aprovação.

As mensagens que permitem nova solicitação ou contestação são: trabalhador com emprego formal; servidor ou agente público; trabalhador que recebe benefício previdenciário ou assistencial; recebe seguro-desemprego ou seguro defeso; trabalhador com renda familiar mensal superior a meio salário mínimo por pessoa e a três salários mínimos; trabalhador com pessoa da família com indicativo de falecimento.

Os motivos que não permitem uma nova solicitação/contestação são: indicativo de falecimento do próprio beneficiário; família já contemplada com o auxílio; beneficiário do Bolsa Família; mais de dois membros da família inscritos e aprovados; trabalhador que recebeu mais de R$ 28.559,70 em 2018.

Veja quando beneficiários do Bolsa Família receberão auxílio emergencial

Receita Federal explica como pedir regularização de CPF por e-mail

Auxílio aprovado

De acordo com a Dataprev, 45,2 milhões de brasileiros têm os CPFs considerados elegíveis, homologados e enviados à Caixa para a verificação final e pagamento da primeira parcela do auxílio. Este número inclui os informais inscritos pelo site e app e os que já estavam inscritos no CadÚnico. A data do recebimento ainda não foi informada.

O número representa 84% do público estimado para receber a renda básica, que era de 54 milhões de pessoas. Até segunda-feira (20), a Caixa informou que 31 milhões de brasileiros receberam os recursos.

O Governo Federal havia destinado R$ 32,7 bilhões para o pagamento de cada uma das três parcelas. Porém, destes, R$ 31,3 bilhões já foram transferidos, mas ainda há 12 milhões de cadastros a serem avaliados para a primeira parcela. Por causa disto, a antecipação da segunda parcela foi cancelada. A previsão é de que ela ocorra em maio.

Cadastro em análise

As pessoas que fizeram o cadastro entre os dias 11 e 17 de abril deverão receber um retorno sobre a análise a partir da noite de sexta-feira (24). Segundo a Dataprev, mais 7 milhões de requerimentos relativos a esse período serão enviados à Caixa.

De acordo com a Dataprev, foi necessária a divisão dos dados em lotes de envio à Caixa, por causa da complexidade do cruzamento de informações. "As regras para a validação dos dados foram amadurecidas ao longo do processo, o que demandou um tempo maior de análise. Com os avanços da atividade e conhecimento dos cenários, o processamento e homologação será cada vez mais rápido daqui para frente", explica a nota da Dataprev.

Acompanhe sua solicitação

A solicitação do auxílio emergencial pode ser acompanhada no site ou no aplicativo, tanto para quem se cadastrou pelas plataformas como para quem já é inscrito no CadÚnico e no Bolsa Família. O acompanhamento só está sendo realizado pela internet e as agências bancárias não oferecem o serviço.

O que é preciso para receber o auxílio?

- Ser maior de 18 anos de idade;

- Não ter emprego formal ativo;

- Não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial, de seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família;

- Ter renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos;

- Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

Além disso, o beneficiário tem que se encaixar em um dos três perfis:

- Ser microempreendedor individual (MEI);

- Ser contribuinte individual do INSS (Instututo Nacional do Seguro Social);

- Ser trabalhador informal, autônomo ou desempregado, de qualquer natureza, inclusive o intermitente inativo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) até 20 de março de 2020 ou que cumpra, nos termos de autodeclaração, o requisito de renda mensal per capita de até meio salários mínimo ou renda familiar mensal de até três salários mínimos.

Senado amplia auxílio emergencial para cabeleireiros e artesãos

Mais Lidas