Proibição

Sulanqueiros são notificados por comercializar de forma presencial em Caruaru

Fiscalização está sendo realizada em ação integrada

Ana Maria Santiago de Miranda
Ana Maria Santiago de Miranda
Publicado em 11/05/2020 às 16:56
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

Quase 30 lojas do Parque 18 de Maio, onde é realizada a Feira da Sulanca, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, foram notificadas por comercializar de forma presencial durante a pandemia do novo coronavírus. Um decreto proíbe o funcionamento da feira desde março. Na manhã desta segunda-feira (11), alguns sulanqueiros foram flagrados atendendo clientes.

De acordo com a Secretaria de Serviços Públicos, alguns dos sulanqueiros estavam atendendo os clientes internamente, de forma presencial, o que é proibido. Há um sistema de delivery em funcionamento, que pode ser utilizado pelos feirantes. Porém, as vendas devem ser feitas pelas redes sociais e a entrega, no Polo Caruaru, seguindo os procedimentos da prefeitura.

De acordo com o gerente operacional de feiras e mercados, Anderson Oliveira, são realizadas ações integradas de fiscalização para que o decreto seja cumprido. "Não é permitida a comercialização no Parque 18 de Maio, especificamente relacionados à Sulanca. Semana passada, como foi o primeiro dia, a gente identificou pontos de comércio dentro e nos arredores", revelou.

Delivery Sulanca

Esta segunda foi o segundo dia de entregas do Delivery Sulanca. No esquema montado no Polo Caruaru, uma triagem verifica a temperatura das pessoas que irão ter acesso ao local. Na semana passada, foram mais de 350 transações. A ideia é que o número final desta semana chegue a 400 transações.

O sulanqueiro Luciano Monteiro enviou algumas mercadorias para Petrolina, no Sertão, através do aplicativo. "O local tem espaço, fica organizado, você acha as pessoas com facilidade e isso tem ajudado, é bom", elogiou.

Mais Lidas