Economia

Caixa diz que mais de 42 milhões de pessoas tiveram auxílio emergencial negado

Outras 65,2 milhões foram aprovadas para receber o benefício

Marília Pessoa
Marília Pessoa
Publicado em 03/07/2020 às 11:20
NOTÍCIA
Reprodução/TV Jornal Interior
FOTO: Reprodução/TV Jornal Interior
Leitura:

De acordo com a Caixa Econômica Federal, na tarde dessa quinta-feira (2), mais de 42 milhões de pessoas tiveram o auxílio emergencial negado. Segundo o vice presidente da Rede de Varejo, Pedro Henrique Ângelo, 42,5 milhões de pessoas que pediram o auxílio foram classificadas como inelegíveis.

Ainda segundo os dados, 65,2 milhões foram aprovadas. Quem analisa os dados para aprovação é a Dataprev.

O auxílio está sendo pago aos aos desempregados, trabalhadores sem carteira assinada, autônomos, MEIs por causa da pandemia do coronavírus (covid-19).

Foram pagos, até essa quinta, R$ 112,5 bilhões para mais de 64 milhões beneficiários. Todos que se inscreveram vão receber as cinco parcelas, de acordo com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

> Veja se você tem direito a receber auxílio emergencial nesta sexta

> Todos receberão as 5 parcelas do auxílio emergencial com tranquilidade, diz ministro Onyx Lorenzoni

> Veja como transferir o auxílio emergencial do Caixa Tem para carteiras digitais

Quarta parcela do auxílio para o Bolsa Família começa a ser paga em julho

O calendário de pagamento da quarta parcela do auxílio emergencial começa no dia 20 de julho para os beneficiários do Bolsa Família. O pagamento para este grupo segue o calendário já existente do programa.

Desta forma, os beneficiários com o final do Número de Identificação Social (NIS) 1 recebem no dia 20 de julho. Os com o NIS final 2, no dia 21 de julho, e assim por diante.

Caixa explica motivo de instabilidade no Caixa Tem

A Caixa Econômica Federal (CEF) explicou o que causou instabilidade no aplicativo Caixa Tem para os beneficiários do auxílio emergencial. Em uma semana em que houve vários pagamentos do auxílio, muitos usuários reclamaram da dificuldade para acessar a ferramenta.

O vice-presidente de tecnologia da Caixa Econômica Federal, Cláudio Salituro, revelou que o acúmulo na atualização da base de dados, realizada no início de cada mês, provocou os problemas no aplicativo. Segundo ele, as atualizações já foram encerradas e a ferramenta, normalizada.

Mais Lidas