menu

Igrejas e templos religiosos são autorizados a reabrir no Agreste

Celebrações poderão acontecer a partir de segunda-feira (13)

Festa da padroeira de Caruaru tem início dia 6 de setembro
Catedral de Nossa Senhora das Dores, em Caruaru (Reprodução/ Sérgio Salles)

As igrejas e templos religiosos poderão reabrir a partir da próxima segunda-feira (13) no Agreste de Pernambuco. Os municípios da região que integram a Macrorregião de Saúde II estavam na segunda etapa do Plano de Convivência com a Covid-19 e avançarão para a quarta etapa. Estas cidades também poderão reabrir o comércio varejista, shoppings, salões de beleza e serviços de estética, comércio de veículos (50% da capacidade), entre outros.

Os espaços religiosos precisam seguir um protocolo com uma série de medidas preventivas, que incluem o limite do público a 30% da capacidade. Os templos com até mil lugares podem ter apenas 50 pessoas e os com espaço para mais de mil lugares só podem receber até 300 fiéis.

Região Agreste reabre comércio e outras atividades na segunda; feiras ficam de fora

Veja o que pode funcionar com reabertura do comércio de Caruaru

Na entrada da igreja ou tempo, é preciso controlar o fluxo. Caso se formem filas, deve haver demarcação para que as pessoas mantenham um distanciamento mínimo umas das outras. Quando possível, as portas de entrada devem ser distintas das de saída, para evitar que as pessoas se cruzem.

De acordo com a Secretaria de Planejamento e Gestão do Governo do Estado, é preciso ainda adotar um intervalo entre as celebrações, de no mínimo três horas, tanto para evitar aglomerações como para realizar a limpeza do ambiente. As igrejas e templos devem priorizar bancos individuais. Em caso de bancos coletivos, é preciso demarcá-los para garantir o afastamento recomendado para impedir a recomendação.

O governo informou que também é preciso evitar práticas que incluam contato físico, como dar as mãos, beijar, abraçar, entre outros.

Praças e parques

Sobre a reabertura das praças e parques, o governo estadual informou que cada prefeitura ficará responsável por regulamentar o acesso a estes espaços. Os municípios devem seguir os protocolos para o restabelecimento das atividades de maneira gradual.