menu

Primeira parcela de R$ 300 do auxílio emergencial começa a ser paga nesta quarta

Agora os demais grupos começarão a ter acesso ao auxílio residual

Com a pandemia do novo coronavírus, o mercado financeiro tem piorado a estimativa para a queda da economia este ano
Primeira parcela de R$ 300 do auxílio emergencial começa a ser paga nesta quarta (Agência Brasil)

A primeira parcela da extensão do auxílio emergencial será paga a partir desta quarta-feira (30), segundo calendário divulgado em edição extra do Diário Oficial da União nesta segunda-feira. A Portaria Nº 496 detalha como serão feitos os pagamentos da extensão do auxílio emergencial para os beneficiários que não fazem parte do Programa Bolsa Família, isto é, os brasileiros integrantes do Cadastro Único (CadÚnico) e aqueles que solicitaram o benefício do auxílio emergencial a partir do aplicativo de celular (Extracad). 

Segundo o Ministério da Cidadania,  27 milhões de pessoas receberão R$ 300 ou R$ 600 (no caso de mães monoparentais).  Assim como ocorreu anteriormente no pagamento do benefício, o calendário seguirá o mês de nascimento dos beneficiários, ou seja, os créditos se iniciarão por aqueles nascidos em janeiro, depois fevereiro, março e assim sucessivamente, em poupança social digital já existente em nome do beneficiário.

> Apenas 56% de aprovados fora do Bolsa Família receberão todas parcelas de R$ 300 do auxílio emergencial

> Decreto define regras para pagamento de auxílio emergencial de R$ 300

> Qual o valor do auxílio emergencial para mãe solteira?

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse que a extensão do pagamento do auxílio emergencial reforça o compromisso do governo em não desamparar os brasileiros mais afetados pela pandemia. "Nós já estamos em pleno processo de pagamento para as famílias do Bolsa [Família] e essa rede de proteção continua estendida a todos aqueles em situação de vulnerabilidade", disse o ministro.

Os primeiros beneficiados na nova fase são aqueles que foram contemplados com o benefício em abril, atenderam aos critérios previstos na MPV nº 1.000/2020 , e já terminaram de receber as cinco parcelas do auxílio emergencial, ficando sem descontinuidade no recebimento do benefício. As pessoas que se tornaram elegíveis em maio, junho e julho terão os novos valores creditados em outubro, novembro e dezembro, respectivamente, após o fim do pagamento do auxílio. De acordo com a MPV, a extensão será paga em até quatro parcelas, encerrando-se, obrigatoriamente, em dezembro de 2020.

Os valores continuarão sendo depositados na poupança social digital da Caixa, bem como os saques seguirão um calendário diferente, para que o distanciamento social nas agências bancárias continue sendo respeitado, contribuindo para minimizar a disseminação do novo cornonavírus.

Bolsa Família

Os beneficiários do Programa Bolsa Família elegíveis ao auxílio emergencial começaram a receber os novos valores do benefício no dia 17 de setembro. Isso porque o auxílio pago a esse público segue o calendário do Bolsa Família, que respeita o número final do NIS. São 16,3 milhões de beneficiários nesta opção que recebem a extensão do auxílio emergencial.

No total, os públicos CadÚnico, Extracad e Bolsa Família, representam, até o momento, 43,3 milhões de brasileiros beneficiados com a parcela de setembro da extensão do auxílio emergencial, o que totaliza um investimento de R$ 13,3 bilhões.

56% de aprovados fora do Bolsa Família receberão todas parcelas de R$ 300

De acordo com o Ministério da Cidadania, 27 milhões de pessoas que não fazem parte do programa Bolsa Família vão começar a receber a primeira parcela de R$ 300 da prorrogação do auxílio emergencial nesta quarta-feira (30). São 48 milhões de beneficiários elegíveis que não fazem parte do Bolsa Família. Portanto, apenas 56,25% dos aprovados receberão as quatro novas parcelas.