pandemia

"Não temos as condições para ter grandes eventos que gerem aglomeração", diz André Longo sobre o São João de Caruaru 2022

O secretário de Saúde de Pernambuco falou sobre o cenário epidemiológico no Estado.

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 04/11/2021 às 13:20
Notícia
Aluisio Moreira/SEI
Secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo - FOTO: Aluisio Moreira/SEI
Leitura:

Durante uma coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira (4), o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, falou sobre o cenário epidemiológico no Estado e abordou a possibilidade da realização das festividades do São João de Caruaru em 2022.

..

"Nós não temos condições para ter grandes eventos que gerem aglomeração. Ainda não temos os patamares de segurança para colocar essa questão das grandes festas públicas. Isso nós estamos falando considerando números de hoje, obviamente que o cenário poderá mudar", disse o secretário.

Em seguida, André Longo comentou que é necessário avaliar o cenário epidemiológico nos próximos meses e entender como se dará a estabilização dos casos diante da vacinação e da queda do registro de casos. "Se a gente conseguir imunizar com a vacinação completa mais de 90% da nossa população, fazer a dose de reforço para todas as pessoas vulneráveis, é bom possível que haja as condições sanitárias para que a gente volte a fazer eventos maiores", completou.

Pandemia em Pernambuco

Entre os dias 19 de janeiro e 21 de outubro deste ano, Pernambuco registrou 9.103 óbitos pela Covid-19. Desses, 8.539 – que representam 94% do total – não tinham tomado a vacina contra a doença, estavam sem o esquema vacinal completo ou faleceram antes do prazo de 14 dias após a segunda dose.

“Os números nos mostram claramente que as vacinas são eficazes contra a Covid-19. E todas as vacinas utilizadas no Brasil tiveram sua segurança atestada pelos mais respeitados órgãos regulatórios do mundo”, afirmou André Longo.

De acordo com a pesquisa, do total de pacientes que faleceram, 6.845 – que representam 75% do total – não tinham tomado nenhuma dose de vacina contra a Covid-19. Outros 1.530 (17%) tomaram apenas a primeira dose, sem completar o esquema, e 164 (2%) adoeceram antes do prazo que a vacina precisa para fazer efeito, que é de 14 dias após a segunda dose ou dose única.

“Esses dados nos dão a real dimensão da importância de se vacinar e completar o esquema vacinal. Não adianta tomar a primeira dose e não procurar o posto de saúde para tomar a segunda. A vacinação, com ciclo completo, é a melhor e única estratégia para evitarmos casos graves e mortes”, complementou o secretário de Saúde.

Do total de pessoas que morreram pela Covid-19 no período analisado, apenas 6% (564) finalizaram o esquema vacinal e adoeceram após o prazo de 14 dias depois da segunda dose ou dose única. A maior parte, 541 (96%) tinha 60 anos de idade ou mais. Verificou-se também que 411 (73%) tinham doenças pré-existentes.

Casos de Covid-19 em Pernambuco

Pernambuco continua registrando estabilidade nos casos da Covid-19. Na semana epidemiológica 43 foram notificados 393 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). Isso representa uma diminuição de 8% em relação à semana anterior e um aumento de apenas 1% em 15 dias (semana 41), com cinco casos a mais. Já em relação às solicitações de vagas de UTI à Central de Regulação, foram 246 pedidos na última semana epidemiológica, três a mais do que na semana 42.

Comentários

Mais Lidas