pandemia

Pesquisa aponta que mulheres têm menos chances de se contaminar com Covid-19

Geneticista explicou que os homens apresentaram carga viral dez vezes maior do que as mulheres

Eduarda Cabral
Eduarda Cabral
Publicado em 08/02/2022 às 10:05
Notícia
SERGIO LIMA / AFP
País enfrenta nova alta de casos do coronavírus - FOTO: SERGIO LIMA / AFP
Leitura:

Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) aponta que mulheres têm menor probabilidade de se contaminarem pela Covid-19 em comparação aos homens. A pesquisa analisou diversos casais em que o homem foi contaminado pelo vírus e apenas ele apresentou sintomas da doença.

..

A USP desenvolve a pesquisa desde o início da pandemia, antes do surgimento das variantes da Covid-19 e muito antes do começo da vacinação. “Começamos a divulgar que tínhamos interesse nesse estudo, recebemos mais de 2.000 e-mails de pessoas dizendo que estavam nessa situação, que um deles teve [Covid-19] e o outro não, e na maioria dos casos foi o homem que teve e a mulher não”, explicou a geneticista Mayana Zatz em entrevista à CNN Brasil.

Mapeamento dos casos

Os pesquisadores realizaram o levantamento com 83 casais em que um dos parceiros teve sintomas provocados pela infecção do SARS-CoV-2, enquanto o outro não mostrou sinais da doença.

“Ao computar os dados, vimos que no grupo dos assintomáticos tínhamos 29 homens e 54 mulheres, ou seja, quase o dobro de mulheres assintomáticas em relação a homens. A gente já sabe em outros estudos que a frequência de homens que tem formas graves da Covid e que vão a óbito é muito maior que entre mulheres, mas queríamos ver o contrário, quem é mais resistente, se são os homens ou as mulheres”, contou Zatz.

Outros casos foram analisados por meio do envio de informações de casais, que encaminharam os dados à pesquisa por e-mail. Desses casos, 943 deles o homem é que tinha sido contaminado e transmitiu para a mulher ou era o único do casal infectado. Em outros 660 casos, a mulher era a única doente, ou a que transmitiu para o parceiro.

“Ou seja, nós confirmamos que os homens transmitem muito mais e que as mulheres. Além de serem mais resistentes, elas transmitem menos”, disse a geneticista.

“Um estudo que realizou a análise da saliva, observou-se que os homens têm uma carga viral dez vezes maior do que as mulheres. A gente sabe que a Covid é transmitida pelas gotículas de saliva, e isso explica porque os homens transmitem mais. Ou seja, são duas situações: as mulheres são mais resistentes quando infectadas, e quando têm o vírus, elas transmitem menos que os homens”, concluiu.

*Com informações do Olhar Digital

Comentários


Mais Lidas