Nacional

Mulher que foi internada após ter relações com mendigo de Planaltina diz que está devastada: "Achei que era meu marido"

Esposa de personal trainer falou sobre o caso que repercutiu no país

Marilia Pessoa
Marilia Pessoa
Publicado em 29/04/2022 às 7:24 | Atualizado em 29/04/2022 às 7:34
Notícia
Reprodução/Instagram
Mulher envolvida no caso com mendigo tem 33 anos de idade - FOTO: Reprodução/Instagram
Leitura:

A mulher que foi internada após ter relações sexuais com o ex-morador de rua Givaldo Alves em Planaltina, no Distrito Federal, falou novamente sobre como está após receber alta e contou sobre como a repercussão do caso a afetou.

À Record TV, a esposa do personal trainer contou que estava em surto psicótico quando encontrou o mendigo e que agora está tentando recomeçar ao lado do marido.

..

"Eu fiquei sabendo [da repercussão do caso] quando eu saí. Quando eu estava internada, não tive acesso, eu estava totalmente reclusa. Quando eu soube, foi um choque. Porque eu não esperava que a minha vida estivesse tão exposta. Ainda mais negativamente. Me tacharam de coisas que não condizem com a pessoa que eu sou", revelou ela.

A mulher contou que se sentiu devastada e teve que fechar a loja de roupas que tinha por causa dos ataques que recebia na internet.

Ao ser questionada sobre como está a saúde dela atualmente, a esposa do personal disse que terá que tomar uma medicação pelo resto da vida para evitar outro surto.

Mulher foi diagnosticada com transtorno afetivo bipolar

Ela explica que foi diagnosticada com transtorno afetivo bipolar e que agora está tentando se restabelecer financeiramente, profissionalmente, como mãe e esposa.

"O que me disseram é que pode vir de uma euforia muito grande ou de uma depressão muito profunda. No meu caso, foi uma euforia muito grande, e isso me levou a ter manias. No meu caso, chegou ao surto psicótico", completou.

A mulher também falou sobre o depoimento em áudio que deu na época em que o caso foi divulgado, quando havia dito que viu o marido e Jesus Cristo no mendigo.

"Quando eu coloquei aquele cidadão dentro do meu carro, eu acreditava naquele momento que ele era meu marido. Quando a gente conversava, eu achava que estava tendo conversas com Deus. [...] Em nenhum momento eu enxergava ele como morador de rua. [...] Eu acreditava que era Deus que estava apanhando ali, que possuía o corpo daquele cidadão", contou à Record TV.

A mulher também revelou que ela e o personal estão recebendo muito apoio da família e dos amigos e que o marido tem a protegido. "Ele é fundamental. Ele é o que me protege da sociedade", afirma.

Comentários

Mais Lidas