abandono

Pais deixam crianças sozinhas e bebê de três meses é encontrado morto em casa

Pais são presos por abandono de incapaz; Crime prevê detenção de seis meses a três anos

Gabriela Luna
Gabriela Luna
Publicado em 23/05/2022 às 7:31 | Atualizado em 23/05/2022 às 7:36
Notícia
Fotos Públicas
A equipe de pediatria da teria constatado que o bebê, do sexo masculino, tem entre 3 e 5 dias de nascido. - FOTO: Fotos Públicas
Leitura:

Na tarde desse sábado (22), um bebê de três meses foi encontrado morto pela Polícia Militar, na zona rural do município de Aliança, na Zona da Mata Norte de Pernambuco. A morte aconteceu após os pais o deixarem sozinho em casa com outras três crianças.

Segundo informações repassadas pela PM e Polícia Civil, a mulher de 31 anos e o homem de 21 anos foram presos em flagrante por abandono de incapaz depois de encaminhados à Delegacia de Plantão de Goiana, na mesma região. As três crianças foram encaminhadas para o Conselho Tutelar.

..

A PM informou que uma equipe chegou à casa da família após uma denúncia. Os pais já estavam com as crianças, mas teriam confessado aos policiais que, na noite anterior, tinham consumido drogas e saído de casa, deixando os filhos sozinhos. O bebê foi encontrado já morto sobre a cama.

A causa da morte do bebê ainda é desconhecida. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) estiveram no local e, na perícia preliminar, não encontraram marcas de violência.

Confira a nota oficial da PM:

“A Polícia Militar esclarece que, na tarde de sábado (21/5), uma equipe do 2º BPM tomou conhecimento de uma criança morta numa residência, na zona rural do município de Aliança.

Ao chegar no local, o efetivo constatou que havia um bebê, de três meses, morto em cima da cama e na casa se encontravam seus pais juntamente com os outros filhos.

Eles informaram que na noite anterior haviam consumido drogas e saído de casa, deixando as crianças sozinhas. Eles foram levados à Delegacia de Plantão de Goiana, para serem tomadas as medidas cabíveis.

As demais crianças foram entregues ao Conselho Tutelar”.

Comentários

Mais Lidas