menu

Pernambuco monitora 66 casos de intoxicação por contato com óleo

Pacientes apresentaram sintomas por causa do contato com produto tóxico e por uso indevido de solventes

Praias do litoral nordestino estão sendo contaminadas com manchas de óleo
Praias do litoral nordestino estão sendo contaminadas com manchas de óleo (Felipe Ribeiro/JC Imagem)

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) está monitorando casos de intoxicação relacionados às manchas de óleo que atingiram o litoral pernambucano que foram notificados nas unidades de saúde de Pernambuco. Eram 66 casos sendo investigados pelas equipes de Vigilância em Saúde da SES-PE de 18 de outubro até essa quinta-feira (31).

Há 26 notificações no Cabo de Santo Agostinho, 18 em São José da Coroa Grande, seis em Ipojuca, uma em Paulista, duas na Ilha de Itamaracá e duas no litoral de Alagoas. Os outros 11 casos não tiveram seus locais informados.

A maior parte das pessoas afetadas pela intoxicação são do sexo masculino (57,6%) principalmente jovens e adultos entre 19 e 59 anos (81,8%). Seis eram menores de 18 anos, o que contabiliza cerca de 9%. Os pacientes foram atendidos depois que apresentaram sintomas de intoxicação por causa do contato com o produto tóxico e pelo uso indevido de solventes para retirar a substância. De acordo com a SES-PE, os sintomas eram cefaleia, náuseas, falta de ar, tontura e diarreia. Outros 35 casos informados pelos municípios estão em análise pela secretaria.

Dois meses de óleo no Nordeste

Na quarta-feira (30), completou-se dois meses que as manchas de óleo atingiram as praias do Litoral do Nordeste. Os resíduos têm sido avistados em vários estados da região. Estima-se que mais de 2 mil quilômetros de costa foram poluídos. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, a substância é hidrocarboneto, derivado de petróleo. Voluntários e equipes de diversos órgãos estaduais se juntaram para recolher o óleo e limpar as praias atingidas.